testosterona e diabetes

Testosterona e Diabetes – Entenda a relação

A testosterona e diabetes aparentemente não parece ter nada a ver. Um hormônio produzido nos testículos e outro pelo pâncreas. Será mesmo? A queda sanguínea da testosterona causa o hipogonadismo e piora o diabetes.  Pesquisas mostram que uma doença pode interferir com a outra, baixa testosterona ou e diabetes mellitus Uma por  baixo níveis de testosterona e a outra altos…

coração

Importância da testosterona para o coração

Testosterona age diretamente na musculatura estriada do nosso organismo e inclusive no coração. A queda da testosterona sanguínea faz com que a musculatura perca da massa, com consequente atrofia muscular. Sua reposição melhora a força muscular e o performance físico do organismo. A normalização da testosterona em pacientes hipogonádicos aumenta a síntese proteica e a hipertrofia do músculo cardíaco.…

Trabalhos aceitos para o XXXV Congresso Brasileiro de Urologia, Rio de Janeiro, 2015

A linfadenectomia estendida pode melhorar a sobrevida livre de recorrência bioquímica após a prostatectomia radical? Instituto Pro Vitae de Urologia, São Paulo, Brasil Palavras-chave: câncer de próstata; prostatectomia radical; linfadenectomia pélvica limitada; linfadenectomia pélvica estendida; prostate cancer; estended pelvic limphadenectomy; radical prostatectomy RESUMO: Introdução: Ainda não está claro se a linfadenectomia pélvica estendida (ePLND) melhora…

PSA

Prostatectomia radical aberta

A prostatectomia radical aberta (radical prostatectomy) foi descrita pelo prof. Patrick Walsh, em 1982, que identificou a banda neurovascular, responsável pela ereção peniana e o esfíncter voluntário, responsável pela continência urinária (urinary continence). Desta maneira, pode-se realizar a cirurgia sem que houvesse incontinência urinária e disfunção erétil no pós-operatório. Saiba sobre sinais e sintomas em: https://www.drfranciscofonseca.com.br/cancer-de-prostata-sinais-e-sintomas/…

HoLEP

Complicações da prostatectomia radical – Entenda

Complicações da prostatectomia radical são divididas nas relacionadas às condições clínicas, ambiente hospitalar, experiência do cirurgião e equipe. A prostatectomia radical (PR) foi descrita pelo Prof. Patrick Walsh, em 1982. Ele identificou a banda neurovascular, responsável pela ereção peniana e o esfíncter voluntário, responsável pela continência urinária. A introdução do PSA em 1986, facilitou o diagnóstico…

incontinência urinária masculina

Incontinência urinária masculina pós-prostatectomia radical

A incontinência urinária masculina e disfunção erétil após uma cirurgia de próstata são os eventos que mais preocupam os pacientes. A prostatectomia radical tem por objetivo curar o portador do câncer de próstata, manter a continência urinária e função erétil. Os objetivos da prostatectomia radical são: remoção do câncer, com margens negativas, com perda mínima de sangue, sem graves complicações e recuperação…

disfunção erétil

Disfunção erétil – Entenda tudo sobre o assunto

O conhecimento da fisiologia da ereção é essencial para seu entendimento e tratamento da disfunção erétil (erectile dysfunction). A interação de fatores neurológicos, vasculares, hormonais, músculo liso cavernoso, drogas indutoras e psicológicos atuam no processo da ereção peniana. Uma alteração de qualquer um fatores ou déficits parciais destas vias podem determinar a disfunção erétil. Uma vez determinada a etiologia da disfunção erétil,…

hipogonadismo

Hipogonadismo masculino ou baixa testosterona

O hipogonadismo é a baixa produção de testosterona e de espermatozoides pelos testículos. O testículo está sob controle de duas outras glândulas, localizadas na base do cérebro. Estas são responsável pela harmonia hormonal no nosso organismo: o hipotálamo e a hipófise.  A testosterona é o principal andrógeno masculino. Ela é produzida em mais de 90% nos…

prostatectomia radical

Prostatectomia radical – Cuidados no pré e pós-operatório

São vários cuidados no pré e pós-operatório que devem ser tomados para que a prostatectomia radical evolua com êxito. A prostatectomia radical deve ser realizada 1,5 mês após a biopsia de próstata, que confirmou o câncer na próstata. Esse tempo minimiza o processo inflamatório causados pela perfuração da agulha de biopsia na próstata. Ela prejudica a dissecção…