132840428_adulto_correndo_esporteO que é

A hiperplasia prostática benigna (benign prostatic hyperplasia) é o crescimento de uma parte da próstata chamada de zona transicional, localizada ao redor da uretra prostática. Este crescimento se inicia entre os 20-30 anos, principalmente nas glândulas periuretrais, podendo causar a obstrução do fluxo urinário.

Isso ocorre de maneira lenta e quase impercetível ao longo da vida, por isso, a manifestação clínica da doença ocorre geralmente a partir dos 50 anos. Alguns pacientes tem sintomas intensos sem que tenham próstata volumosa, e o inverso também é verdadeiro.

 

Sintomas

O principal sintoma é a diminuição do jato urinário, com micções de pequenos volumes em curto intervalo de tempo, e urgência, com jato interrompido, seja durante o dia ou a noite. Existem períodos de melhora e piora na evolução clínica. Os sintomas do trato urinário inferior são as queixas que mais afetam a qualidade de vida dos homens, principalmente os irritativos (urgência).

 

Diagnóstico

A ultrassonografia do trato urinário e da próstata avalia as possíveis alterações nos rins, na bexiga e o volume da próstata, e sua relação com a bexiga. A urografia excretora, a tomografia computadorizada e a ressonância nuclear magnética são exames que podem ser solicitados se o urologista quiser avaliar alguma particularidade específica.

Exames funcionais podem ser solicitados para confirmação da obstrução.
A cistouretrografia miccional pode avaliar como se abre a uretra prostática durante a micção e, inclusive, se há estreitamento uretral. O estudo urodinâmico investiga a força da bexiga em relação à obstrução do jato urinário quando passa na próstata e uretra.

 

Tratamento clínico

Remédios que podem ajudar a abrir a uretra prostática e favorecer o esvaziamento ao urinar, chamados de alfa-bloqueadores.

 

Tratamento cirúrgico

O mais importante é a ressecção endoscópica da próstata, chamado de padrão ouro – remoção da porção da próstata (zona transicional) que obstrui a uretra. Existem outras cirurgias para próstata realizadas com diferentes fontes de energia, tais como vaporização com laser e ressecção com bisturi monopolar.

 

Fatores de risco e prevenção

Existem alguns fatores de risco clínicos e metabólicos que podem ser controlados com um estilo de vida mais saudável, como: sedentarismo, obesidade, diabetes, hipercolesterolemia (colesterol alto), síndrome metabólica, doenças cardiovasculares, uso de álcool e tabaco, inflamações prévias prostáticas e sondagem vesical (risco para estenose da uretra e infecção do trato urinário). Também existem fatores de risco relacionados à idade e à hereditariedade.

Estes fatores podem ser minimizados pelo acompanhamento médico e controle das doenças específicas, além da adoção de hábitos saudáveis como a prática regular de atividade física e uma alimentação adequada.